31
Mai 13

Vamos dar voz ao João Lima, que gentilmente nos enviou o seu questionário sem tabus, para ele o meu Bem-Haja por ser novamente o primeiro a responder a um projecto que estou a dar vida.

 

I. O QUE TE LEVOU ATÉ AO ATLETISMO?

Tinha 45 anos e foi a necessidade de fazer alguma coisa para evitar alguns sérios avisos de saúde que estava a receber. Como o Atletismo sempre me seduziu, experimentei dar umas corridinhas. A primeira vez que corri 1.800 metros, fiquei de tal forma que o coração parecia que ia saltar boca fora!

II. QUAIS OS TEUS ANTECEDENTES DESPORTIVOS?

Apenas Hóquei em Patins, como iniciado, entre 1972/1973 no Sporting de Tomar

III. QUE OPINIÃO TENS DAS ORGANIZAÇÕES?

Salvo raras excepções, a grande maioria das corridas que participo, e são mais de 40 por ano, são duma excelente qualidade, muitas vezes com parcas condições mas uma enorme vontade de fazer o melhor possível. Muitas situações polémicas que tenho presenciado, são da responsabilidade do chico-espertismo do atleta, acabando as organizações por levar por tabela.  

IV. QUAL A TUA PROVA E DISTANCIA DE ELEIÇÃO E PORQUÊ?

Toda e qualquer distância tem o seu desafio e fascínio. Se, competitivamente, corro melhor em 10 kms, as Meias-Maratonas são uma grande paixão. E, desde que cumpri a minha, a Maratona um sonho que se realiza.

Quanto a provas, e sendo injusto não falar aqui em tantas tão especiais, o Grande Prémio de Constância é a prova onde sinto sempre uma certa magia no percurso. 

V. O QUE TE IMPEDE DE FAZERES UMA MARATONA?

Nada. Já cumpri esse meu sonho, que parecia "impossível", em Lisboa, Dezembro passado.

VI. QUANDO ESTÁS SOZINHO EM PROVA EM QUE PENSAS?

Nem sei dizer. Acho que a maior parte do tempo vou a desfrutar. Com uma vida tão exigente, o luxo de ter tempo para não pensar é impagável. 

VII. QUAL A DISTANCIA MAIOR QUE PERCORRESTE?

42.195 metros, Maratona de Lisboa, 9 de Dezembro de 2012.

VIII. O QUE FOI PARA TI CORRER ESSA DISTANCIA?

Foi o concretizar dum sonho que me parecia impossível. Ainda hoje chego a duvidar se consegui mesmo! 

IX. O QUE TE LEVOU A FAZER ESSA DISTANCIA?

5 anos a sonhar com a distância. Um apelo irresistível ao tremendo desafio colocado a um atleta com poucas capacidades mas muita paixão. Paixão que se transforma numa força inabalável e leva-me a concretizar estes momentos que ficam bem colados dentro de mim.   

X. QUANTO TEMPO É NECESSÁRIO PARA SE PREPARAR UMA ESSA PROVA E QUE TIPO DE TREINOS FAZES?

Tive uma preparação de 3 meses e, baseado em tudo o que fui ouvindo e lendo e, conhecendo as minhas limitações, elaborei um plano onde a intenção não era a velocidade mas sim a resistência, aumentando de forma gradual e constante até aos 30 kms.

XI. QUANDO AS FORÇAS COMEÇAM A FALTAR (FISICA E MENTAL) ONDE VAIS BUSCAR AQUELE FOLGO QUE TANTO É NECESSÁRIO PARA CHEGAR AO FIM?

Se a força física falta, a parte mental compensa, agora se se dá o inverso... é complicado! 

Na Maratona, bati em cheio no muro aos 30 kms mas a parte mental estava de tal forma comprometida com o sonho da meta que nada me pararia nesse dia. 

O querer muito um objectivo, dá uma força mental extraordinária e se em provas de velocidade pouco há a fazer, em esforços prolongados é uma mais valia fundamental.

XII. QUANDO ESTÁS EM PROVA SENTES QUE TE ENCONTRAS PROTEGIDO PELA ORGANIZAÇÃO SE TE OCORRER ALGUM ACIDENTE DESPORTIVO?

Sinceramente, quando estou em prova não penso nisso.

XIII. TENS ALGUNS MOMENTOS DE DESANIMO OU GLORIA QUE POSSAS PARTILHAR?

Glória, já aqui referi a Maratona. Encontrava-me já muito desgastado e ao passar a placa de 41 kms esse último que faltava assemelhava-se a uma montanha sem fim, mas quando entrei no estádio do Inatel, o cansaço desapareceu como por magia e senti-me muito leve a realizar aqueles 200 e poucos metros finais. Literalmente, ia sobre nuvens!

Desânimo, foram os 6 meses que estive fora das corridas por ter partido o pé esquerdo. Foi muito doloroso o não poder correr.

Não quero deixar de referir algo que as corridas me deram e isso é um tesouro fabuloso. Estou a referir-me a uma série de pessoas fantásticas que doutro modo teria sido difícil conhecer, e a toda a amizade e companheirismo.

XIV. DEIXA ALGUMAS NOTAS (PESSOAIS E DESPORTIVAS) SOBRE TI PARA UMA BREVE APRESENTAÇÃO.

Chamo-me João Lima, nasci em Tomar há 53 anos, estou casado com a Mafalda há 31 anos e tenho uma filha com 27 e um filho com 19. Sou informático de profissão e comecei a correr a meio de 2005 tendo-me estreado na Mini da Ponte em 2006, nunca mais parando desde então, com excepção dum interregno forçado de 6 meses por fractura dum pé. Já participei em 265 corridas sendo a coroa de glória uma Maratona. Administro uma página sobre Atletismo onde, entre vários assuntos, tenho um histórico de resultados das provas portuguesas, e também um blogue que em pouco mais de 3 anos já contabiliza cerca de 200 mil visitas.

 

 

publicado por TERTÚLIA DOS ULTRAS às 23:21

28
Mai 13

Noticiava o Jornal de Sintra no nº 1529 de 7 de Julho de 1963 que a I Légua Popular de Sintra foi ganha pelo Sport União Sintrense teve a seguinte classificação:

1º José Carvalho - S.U. Sintrense

2º José Mutela - Ginásio de Agualva

3º António Veríssimo - Atlético de Queluz

4º António Capitulo - Atlético de Queluz

5º Vitor Moreira - Atlético de Queluz

6º António Augusto - S.U. Sintrense

7º Luís João - S.U. Sintrense

8º Joaquim Ramos - Ginásio Agualva

9º António Chamusca - Atlético de Queluz

10º Pedro Silva - Hockey Club de Sintra

 

publicado por TERTÚLIA DOS ULTRAS às 22:44
tags:

24
Mai 13

Sábado dia 31-03-2012 realizava-se mais uma prova do Sintra a Correr desta vez na distância de 1.609,34 metros mais conhecida por Milha.

Como nunca tinha corrida tal distância e a mesma encontrava-se em falta no meu curriculum.

Lá foi São Marcos, cheguei cedo como á habitual até á partida foram chegando os atletas que participam no Sintra a Correr.

Juntei-me ao Ginjeira, Ferreira, Silvério, Carrudo e outros verdadeiros especialista naquela distância, a meio da conversa perguntei-lhes como se corria aquela prova, como eles sabiam que aquela não era a minha praia, respondeu-me o Silvério e Carrudo quase em simultâneo:

O lema é “PARTIR A SOFRER, CHEGARA A MORRER”.

Com mil raios, disse eu para o meu dorsal, não vai correr nada bem, e lá foi aquecer depois do aquecimento durou mais de 30m, isto para correr os 1.609,34 metros em 4m e 24s com grande sofrimento, mas inda consegui ficar em 15ª no escalão.

Finalmente foi dada a partida aqueles quatro amigos atletas do escalão de veteranos mais 65 anos, partiram com uma velocidade, que até pareciam um Ferrari a sair da grelha de partida para um grande prémio e eu de Fiat 600.

O circuito tinha inicialmente uma pequena recta, no final virava-se á esquerda que descia aproximadamente 50m (a velocidade deles ainda aumentou), nova recta que dava inicio a duas pequenas subidas ai foi-me aproximando um pouco deles, no fim da subida entramos na recta que dá acesso á meta e finalmente ultrapassei o Ginjeira e o Ferreira porque o Silvério e Carrudo ainda estavam com muito combustível.

Esta corrida foi talvez uma das mais difíceis que participei pela velocidade que é necessário no arranque depois mante-la e ainda ter forças para acabar no mesmo ritmo de saída.

Aos meus amigos veteranos que acima mencionei os meus parabéns.

Eu com Ginjeira

publicado por TERTÚLIA DOS ULTRAS às 23:31

22
Mai 13

O Defensor de Sintra na sua edição de 7 de Junho de 1930 escrevia que se tinha realizado no passado domingo dia 1, uma prova pedestre na Vila de Sintra.

A partida para a prova organizada pela Sociedade União Sintrense efectuou-se pelas 10 horas com o intenerário - Vila (partida), Arrassario, Ribeira, Monte Santo, Estefânia e Vila (chegada).

O 1º classificado foi Luís Mendes, 2º classificado Talagão, 3º classificado João tendo gasto o 1º classificado 19 m.

Os 7 participantes foram conforme foto do jornal.

Da esquerda para direita, Silvino, João e Carlos do Sport União Sintrense, António do São Pedro Atlétic Club, Luís Mendes do Academico Foot-Ball Club, Tagalão e Augusto do Sintra Foot-Ball Club. 

(Fonte Biblioteca CMS)

publicado por TERTÚLIA DOS ULTRAS às 22:30
tags:

19
Mai 13

As Portas do Inferno

Aqui começa o Reino do Diabo

Todos nós que já corremos UTSF sabemos bem como é necessário que os DEUSES DA MONTANHA ESTEJAM CONNOSCO" após se ter passado aquela porta para se chegar ao fim.

publicado por TERTÚLIA DOS ULTRAS às 21:50
tags:

Após ler as linhas que o Fernando Andrade escreveu no seu blog “Cidadão de Corrida”, onde fez uma descrição dos 10kms que percorreu a nossa Serra de Sintra.

O meu percurso foi igual ao dele, para muitos daqueles atletas era a primeira vez que cruzavam as históricas estradas de Sintra, já agora deixo um novo desafio participem no próximo GP FIM DA EUROPA, depois partilhem as vossas emoções.

Uma palavra de muito apreço para o pelotão feminino que tinha ao comando a Dulce Félix, e que bem se portaram.

Também como o Fernando também reparei nos comentários que ia ouvindo pela estrada fora, e, o mais prenunciado eram “outra subida”, companheiros a Serra de Sintra não tem subidas, só apresenta enormes planos inquilinados.

Espero que tenham gostado da Serra de Sintra porque ele ontem estava vestida com a sua melhor roupagem, voltem sempre e até á próxima prova.

 

 

 

publicado por TERTÚLIA DOS ULTRAS às 21:41

16
Mai 13
 
Companheiros,
 
O Blogue “TRIBO DOS ULTRAS” chegou ao seu fim depois de dois anos sem actividade.
 
Na Tribo dos Ultras partilhei as minhas experiências que fui recolhendo nas corridas em que participava.
 
Como optei em determinada altura por não dar preferência a uma só disciplina, tenho andado a correr nas mais variadas distâncias, com isso vou recolhendo novas experiências que não estava habituado.
 
Penso que chegou a altura de partilhar novamente essas experiências desta vez não em Tribo, mas em Tertúlia, e para não se perder o carisma do anterior blogue o novo espaço será a “TERTÚLIA DOS ULTRAS”.
 
Espero pelos vossos comentários às diversas matérias que lá vou colocando, a vossa colaboração podem partilhar connosco as vossas próprias experiências.
 
O Blogue vai apresentar três Tags, Diário de Bordo, No Trilho de…, Quiosque.
 
Diário de Bordo – reservado á partilha das experiências vivas não só por mim, mas também por quem quiser utilizar este espaço.
 
No Trilho de… - reservado a entrevistas que vou pedir.
 
Quiosque – reservado ao cometário de fotos, efeméridas, livros e revistas, tudo dedicado ao Atletismo.
 
 
 
Um abraço
 
Álvaro Pinto

 

publicado por TERTÚLIA DOS ULTRAS às 23:33

Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

20
21
23
25

26
27
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
Contador de Visitas
Free Hit Counter
Free Hit Counter
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO